Você sabe qual o impacto que a estatística tem sobre as pesquisas clínicas?

A pesquisa clínica é um processo de investigação científico que visa desenvolver novos tratamentos, medicamentos ou vacinas, ou melhorar os já existentes. Para que os resultados de uma pesquisa clínica sejam confiáveis e possam ser generalizados para a população em geral, é fundamental que a análise dos dados seja feita de forma rigorosa e utilizando métodos estatísticos adequados. As estatísticas são essenciais para descobrir se novas intervenções de saúde melhoram a vida dos pacientes. A estatística é uma ciência que estuda a coleta, organização, análise e interpretação de dados. Ela é única entre as disciplinas acadêmicas porque o pensamento estatístico é necessário em todas as fases de praticamente todas as investigações de pesquisa, incluindo o planejamento do estudo, a seleção da amostra, o gerenciamento dos dados e a interpretação dos resultados. No planejamento do estudo, a estatística é usada para determinar o tamanho da amostra, o tipo de amostragem e os métodos de coleta de dados. O tamanho da amostra é importante para garantir que os resultados do estudo sejam representativos da população em geral. O tipo de amostragem determina como os participantes do estudo serão selecionados. Os métodos de coleta de dados determinam como os dados serão obtidos dos participantes. Os estatísticos garantem que os desenhos dos estudos sejam estatisticamente robustos para que as questões de pesquisa possam ser respondidas. Eles realizam testes estatísticos e avaliam a incerteza nos resultados para determinar se os dados apoiam as hipóteses de pesquisa. Na análise dos dados, a estatística é usada para descrever os dados, testar hipóteses e tirar conclusões. A descrição dos dados é feita por meio de medidas estatísticas, como média, mediana, desvio padrão, etc. O teste de hipóteses é um procedimento estatístico que permite avaliar se existe uma associação entre duas ou mais variáveis. A conclusão do estudo é baseada nos resultados do teste de hipóteses. Na publicação dos resultados, a estatística é usada para apresentar os dados de forma clara e concisa. Os resultados do estudo devem ser apresentados de forma que possam ser interpretados por outros pesquisadores e profissionais da saúde. O que exatamente os bioestatísticos fazem nos ensaios clínicos? Os bioestatísticos que gerenciam ensaios clínicos têm uma longa lista de tarefas. A estatística é uma ferramenta essencial na pesquisa clínica, desde a concepção do estudo até a interpretação e comunicação dos resultados. Sua aplicação rigorosa contribui para a robustez e confiabilidade dos achados, promovendo avanços significativos na compreensão e tratamento de condições médicas. O CIPES, Centro Internacional de Pesquisas Clínicas, tem a responsabilidade de estar sempre em congruência com as diretrizes éticas dos órgãos competentes, mantendo sempre a segurança e integridade dos participantes. Nosso objetivo é trazer fortalecimento e melhorias na saúde da população de São José dos Campos, e por consequência de todos os brasileiros, por meio da condução de pesquisas que possam trazer resultados satisfatórios no desenvolvimento de novas terapias e tratamentos no combate a doenças das mais diversas áreas. Compartilhamos conhecimento com uma equipe de investigadores experientes e que nos possibilitam desfrutar de uma expertise qualificada e assertiva na condução de estudos clínicos. Acesse e conheça nossos estudos em aberto. Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades do universo da Pesquisa Clínica: Facebook, Instagram, LinkedIn.

Quem são os envolvidos na pesquisa clínica?

A pesquisa clínica é um processo científico que visa avaliar a eficácia, segurança e tolerabilidade de novos tratamentos médicos, como medicamentos, dispositivos e procedimentos. É um processo essencial para o desenvolvimento de novas terapias que podem melhorar a saúde e a qualidade de vida das pessoas. A pesquisa clínica envolve uma série de pessoas e organizações, cada uma com um papel importante a desempenhar. Os principais envolvidos são: Participantes da pesquisa Os participantes da pesquisa são a base de qualquer estudo clínico. Eles são as pessoas que fornecem os dados necessários para avaliar a eficácia e a segurança de um novo tratamento. Os participantes da pesquisa podem ser pessoas com doenças ou condições médicas, ou pessoas saudáveis. Em geral, os participantes são selecionados de acordo com critérios específicos, como idade, sexo, diagnóstico médico ou outros fatores. A participação em um estudo clínico é voluntária. Os participantes devem ser informados sobre os riscos e benefícios do estudo antes de tomar uma decisão. Pesquisadores Os pesquisadores são os profissionais responsáveis por planejar, executar e coordenar os estudos clínicos. Eles são geralmente médicos, enfermeiros, farmacêuticos ou outros profissionais da saúde com formação em pesquisa clínica. Os pesquisadores são responsáveis por: Patrocinadores Os patrocinadores são as organizações ou indivíduos que financiam os estudos clínicos. Eles podem ser empresas farmacêuticas, governos, instituições de pesquisa ou outras organizações sem fins lucrativos. Os patrocinadores são responsáveis por: Órgãos reguladores Os órgãos reguladores são responsáveis por garantir a segurança e a ética dos estudos clínicos. No Brasil, os órgãos reguladores são a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). A CONEP é responsável por avaliar os protocolos de pesquisa e emitir pareceres sobre sua aprovação. A ANVISA é responsável pela fiscalização dos estudos clínicos e pela garantia da segurança dos participantes. A importância da pesquisa clínica A pesquisa clínica é essencial para o desenvolvimento de novas terapias que podem melhorar a saúde e a qualidade de vida das pessoas. Os estudos clínicos fornecem dados científicos que permitem aos médicos avaliar a eficácia e a segurança de novos tratamentos, antes de serem disponibilizados para a população em geral. A pesquisa clínica é um processo complexo que envolve uma série de pessoas e organizações. A colaboração entre todos os envolvidos é essencial para o sucesso da pesquisa clínica. O CIPES, Centro Internacional de Pesquisas Clínicas, tem a responsabilidade de estar sempre em congruência com as diretrizes éticas dos órgãos competentes, mantendo sempre a segurança e integridade dos participantes. Nosso objetivo é trazer fortalecimento e melhorias na saúde da população de São José dos Campos, e por consequência de todos os brasileiros, por meio da condução de pesquisas que possam trazer resultados satisfatórios no desenvolvimento de novas terapias e tratamentos no combate a doenças das mais diversas áreas. Compartilhamos conhecimento com uma equipe de investigadores experientes e que nos possibilitam desfrutar de uma expertise qualificada e assertiva na condução de estudos clínicos. Acesse e conheça nossos estudos em aberto. Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades do universo da Pesquisa Clínica: Facebook, Instagram, LinkedIn.